IFA BRASIL - IJO IFA OPA ADIMULA

IFA BRASIL - IJO IFA OPA ADIMULA

TEMPLO OBARA OSA

INTRODUÇÃO DE APETEBI E IYANIFA

 

Dentro do culto a Ifá há dois tipos de mulheres, APETEBI e IYANIFA.
 
A Apetebi é a esposa do Babalawo, e ela pode ter conhecimento ou não da filosofia de Ifá. A este título só incumbi a ela, se ela for casada com um Babalawo, como explica no odu ifá Obararete que Orunmila deu sua filha para um de seus filhos de ifa, neste caso filha de uma de suas esposas que tinha lepre (ele conheceu esta mulher durante suas jornadas espirituais por vários lugares). Ele dando sua filha declarou ao estudo o significado deste título: omo ti a pa ete bi que significa a criança que nasceu depois de curar a mãe da lepra. 
 
Iyanifa por outro lado é um título ou nome comum para qualquer mulher que se submete a formação de conhecimento a Ifá, tal forma que, uma Apetebi também pode se tornar uma Iyanifa se uma mulher passar por todo treinamento de Ifa, igual a um Babalawo, ou seja, nem todas são Iyanifa, mas muitas são Apetebis uma vez que casadas com um Babalawo. A palavra Iyanifa foi derivado de Iya Onifa, que significa Mãe em Ifa ou sacerdotisa de Ifa. Iyanifa não se designa apenas as mulheres anciãs, mas sim pelo conhecimento dela dentro do culto a Ifá, que é o mesmo seguimento de um Babalawo, ela pode ser jovem como uma anciã, isso vai depender somente de seus ensinamentos.
É muito dificil encontrar uma Iyanifa em uma comunidade de Ifá com muitos conhecimentos, são poucas existentes. É mais fácil encontrar uma apetebi que siga seu esposo, porque aqui parte-se da premissa que ela normalmente não tem tempo para aprender como seu esposo aprende, tendo assim que cuidar de filhos, da casa ou templo. 
 
A Apetebi ou qualquer mulher que depois realizar o ritual ITEFÁ, a ela não é consignado este título de IYANIFA, porém, a regra só tem ressalvas se a mesmativer compreendido todos os ensinamentos dos 256 odu ifá, ebo, rezas etc, igual a um Babalawo. A Apetebi normalmente além de cuidar do templo, a ela fica incube de rezar por Ifá e as vezes agradar Ifa com os nozes de cola (obi) nos Ose Ifa (semana de Ifá), comidas, bebidas, etc., da mesma forma a Iyanifa, deixando a parte de sacrificios para seu esposo Babalawo, no processo de invocar energias.
 
Iyanifa pode além de tudo isto mencionado acima, recitar versos de Ifá de tal forma que, a Apetebi não pode. Iyanifa pode participar de reuniões no templo de Ifá, fechado somente aos sacerdotes, recitar versos de Ifá partir dos odu e até mesmo aconselhar um babalawo quando possivel em reuniões espirituais.
 
Outro itém importante é o fato de saber se uma mulher pode ou não consultar o rosario "opele ifa" para uma consulta com Ifá? A resposta é SIM, desde que ela tenha conhecimento necessário para isso, porque de fato é mais fácil consultar com o erindilogun porque o mesmo tem 16/17 odu, e este aprendizado é o mais fácil e rápido para chegar ao entendimento.
Um breve relato sobre isto está designado no odu ifa Oturupon-Oyeku, quando diz que Orunmila foi a frente de uma guerra junto com alguns Orisa e, chegou a notícia em sua residência que ele havia sido morto ou ferido. Seu filho Amosunlaka desmaiou, enquanto, Osu-n-leyo sua esposa estava tão preocupada sem saber o que fazer, e já se diz que uma lanterna pode ser visto no fundo da casa, ela foi para Aboseere tii Bodu um herbalista que proclamou que Orunmila nunca retornará, e mais preocupada e chorando ela foi até a casa de Abope tii baaya, outro não sacerdote de Ifá que Orunmila nunca vai voltar, apesar de ambos fazerem isto por inveja, porque vêem Orunmila como sendo uma ameaça ao seu trabalho espiritual. 
Osu-n-leyo estava voltando para casa com muita tristeza quando ela conheceu Esu Odara, que a aconselhou a ir para usar o 'Opele' no 'Onko', que ela pode encontrar e saber a condição do marido no 'Opele'. Ela foi direto e rapidamente consultar 'Opele ", onde foi revelado que Orunmila vai voltar para casa, o 'Opele' aconselhou-a a fazer o sacrifício conhecido como ebo de três aves do sexo masculino, um jarro de óleo de palma, dezesseis búzios e dois ovos frescos, o Opele aconselhou ainda que o ebo após a execução devem ser entregues a Esu Odara, também conhecido como Elegbara. Ela rapidamente juntou os ingredientes disponíveis e enviou para um dos alunos de seu marido que ajudou oferecer o sacrifício (não se esqueça que dizemos uma lanterna não pode ver seu pé e também podemos ver como as mulheres agora podem ir em Ifa). Osu-n-leyo fez como 'Opele' instruiu e quando ela bateu o primeiro ovo na frente de Esu Odara, e quando ela se virou para voltar para casa, ela começou a escutar o som do gongo Agogo e canções Ifa cantando para levá-la para casa do marido, correu para dentro rapidamente para completar a outra parte do ebo batendo o segundo ovo para baixo como Esu aconselhou, e quando ela fez isso, seu filho Amosunlaka, que entrou em colapso voltou à vida e assim depois de algum tempo, Orunmila retornou a sua casa.
 
De acordo com a diáspora yorubá, revela-se um tabu muito sério de acordo com as mulheres estejam menstruadas. Quando as Iyanifa estejam menstruadas, elas não podem chegar perto do santuário de Ifa ou qualquer Orisa. Qualquer medicina tocada por mulheres durante este período elas ficam impotentes.
 
Outro tabu dito no odu Ifá Ofunrangun, explica porque mulher não pode ver Odù (Olofin, Orisa mistíco), porque uma mulher filha de Orunmila descumpriu uma ordem, e ficou cega ao ver Odu.
 

Blog Stats

  • Total posts(45)
  • Total comments(129)

Forgot your password?